Primeiro negócio: saiba como economizar ao abrir o seu!

Muita gente tem o sonho de abrir um negócio próprio. Em períodos como o que vivemos atualmente, marcados por crises econômicas e altos índices de desemprego, o empreendedorismo é visto como uma opção atraente para quem deseja dar um novo rumo para a vida.

Porém, colocar o primeiro negócio para funcionar não é uma tarefa simples — especialmente para quem não tem muitos recursos financeiros disponíveis. Por isso, decidimos preparar um post com tudo o que você precisa fazer para ter sucesso nessa empreitada.

Aqui, você verá um guia rápido de como estruturar o seu negócio, aprenderá como economizar o máximo possível ao abrir uma empresa e encontrará as melhores dicas para reduzir os gastos após o início das atividades.

E aí, ficou interessado? Então continue conosco e siga a leitura!

Como economizar ao abrir o seu primeiro negócio

Segundo dados do IBGE, cerca de 60% das empresas fecham antes de completar cinco anos. Por isso, antes de começar a empreender, é necessário tomar algumas precauções para não engrossar essa estatística.

A seguir, listamos alguns dos cuidados mais importantes que você deve ter ao estruturar o seu negócio. Veja só!

Pesquise o melhor custo-benefício

Ao montar o seu negócio, você vai precisar da ajuda de alguns parceiros fundamentais, como fornecedores e freelancers. Como todos eles demandam gastos, será preciso pesquisar muito para conseguir o melhor custo-benefício para a sua empresa.

A dica, aqui, é ser paciente e analisar todas as opções com muita calma. Veja quais são as alternativas que trazem as melhores vantagens a curto, médio e longo prazo — e tome uma decisão somente após refletir sobre todas as possibilidades.

Confirme se a sua ideia é válida

Muitos empreendedores de primeira viagem caem nesta armadilha: eles montam toda a estrutura dos seus negócios para, só depois, verificarem o potencial dos seus produtos junto aos clientes. O resultado, invariavelmente, é o fracasso.

Em vez de seguir essa linha, nossa recomendação é que você faça o caminho inverso: antes de montar qualquer estrutura, dê um jeito de confirmar se a sua ideia será bem aceita pelo público-alvo.

Um exemplo bem simples é começar a vender utilizando plataformas gratuitas antes de montar o seu próprio site, por exemplo. Após os primeiros feedbacks positivos, você naturalmente terá mais confiança para investir na ideia e prosseguir de maneira mais profissional.

Saiba o que você está fazendo

Ao iniciar uma empresa, é muito comum que você desenvolva várias funções. Porém, se você tiver dificuldades em realizar uma determinada tarefa, é melhor delegá-la a alguém especializado: gastar recursos em tentativas e erros pode sair muito mais caro.

Uma boa dica é fazer cursos rápidos para aprender, ao menos, o básico sobre o assunto que você precisa conhecer. Hoje, é possível encontrar muitos cursos on-line bem acessíveis e, com um pouco de paciência, até tutoriais gratuitos na Internet.

Comece com uma estrutura enxuta

Com a ideia validada e as burocracias iniciais resolvidas, já é possível começar a montar a infraestrutura da empresa. Nessa fase inicial, entretanto, os pequenos empreendedores costumam não ter recursos para bancar grandes despesas, como a contratação de funcionários fixos.

Uma boa forma de contornar essa situação é optando por freelancers: com uma boa pesquisa, você consegue encontrar profissionais de ótima qualidade e a preços acessíveis.

Outra boa dica é descobrir uma maneira de otimizar todos os seus processos: separar determinados dias da semana para fazer entregas ou visitar clientes, por exemplo, pode significar uma boa economia em gasolina, e por aí vai.

No final das contas, apenas uma coisa precisa ficar bem clara em sua mente: qualquer custo desnecessário pode afetar, de maneira profunda, o futuro de um negócio carente de recursos financeiros.

Concentre-se no cliente

Com todas as etapas anteriores vencidas, seu primeiro negócio, enfim, estará na ativa! Agora, sua maior preocupação deverá ser a satisfação dos seus clientes — afinal, são eles que darão o combustível para que as engrenagens da sua estrutura funcionem.

Ao colocar o cliente em primeiro lugar, você estimula a fidelidade à sua marca e aumenta consideravelmente a possibilidade de novos negócios.

Como reduzir os gastos da sua empresa

Depois que você já iniciou as atividades da empresa e está com os negócios a pleno vapor, ainda é possível otimizar os custos para, por exemplo, atingir o ponto de equilíbrio da companhia muito mais rapidamente.

Para facilitar a sua vida, listamos três dicas de ouro para ajudá-lo a reduzir os seus gastos. Confira!

O coworking pode ser um grande aliado

A infraestrutura física é geralmente o maior gasto de uma pequena empresa. Além do aluguel, é preciso levar em consideração os custos com o condomínio, o IPTU, a energia elétrica, a água, a Internet, a manutenção e a limpeza. A grande questão é: será que você precisa mesmo disso?

Para quem está iniciando um negócio, escritórios de coworking, como o Cymbiosis, podem ser uma excelente opção. Muito procurados pelas startups, esses espaços oferecem uma completa estrutura de trabalho — com direito à Internet e à sala de reunião —, com cobranças fixas mensais ou por hora.

A otimização dos processos de trabalho sempre é possível

Investir em parcerias e funcionários eficientes pode ser bem mais vantajoso do que contratar novos colaboradores, por exemplo. Horas extras, além de desgastantes para os funcionários, significam, muitas vezes, despesas desnecessárias para a empresa.

Confira sempre também como anda o fluxo de trabalho do seu negócio: se o processo estiver travando em algum instante, você pode estar desperdiçando tempo e recursos que poderiam ser fundamentais em outros setores.

O cuidado com a tributação é fundamental

Você provavelmente já deve saber que a carga tributária brasileira é uma das maiores do mundo, certo? Como empreendedor, você vai precisar arcar com vários impostos, taxas e tarifas. Entretanto, é possível ter uma boa economia nos custos se a sua empresa se enquadrar no regime tributário ideal.

Caso as suas expectativas de ganhos não excedam o montante de R$ 81 mil anuais, pode ser muito mais vantajoso ser um MEI (Microempreendedor Individual) do que, por exemplo, uma Microempresa — que lida com um conjunto de gastos bem maior.

Aqui, a dica é procurar um bom escritório de contabilidade e simular todos os cenários possíveis até encontrar a situação ideal para a sua empresa.

Viu só como, mesmo sem ter muito dinheiro, é perfeitamente possível abrir o seu primeiro negócio? Se você deseja saber mais sobre coworking e outras maneiras de viabilizar a sua empresa com poucos recursos, entre em contato conosco: teremos o maior prazer em ajudá-lo. Até o próximo artigo!

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer deixar um comentário?
Compartilhe sua opinião com a gente!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *